Aplicativos de mensagens são, cada vez mais, alternativa para compartilhamento de arquivos

Fonte: Freepik

Muito usados para compartilhar mensagens e arquivos, os e-mails, ao longo do tempo, têm perdido espaço para aplicativos de mensagens instanâneas no momento em que seus usuários precisam trocar fotos, áudios e documentos. 

Agilidade e facilidade em compartilhar arquivos

O avanço da tecnologia mobile permitiu uma nova forma de comunicação: aplicativos de mensagens. Eles são, hoje, uma das maiores formas de conectar pessoas. Cada vez mais, esses softwares surgem com funções que trazem maior interação entre usuários.

O compartilhamento de arquivos foi um dos grandes saltos desses aplicativos, principalmente com a possibilidade de envio de documentos, ao invés de somente fotos e vídeos. 

Atualmente, grande parte dos aplicativos de comunicação instantânea possui a função de compartilhamento de documentos nos principais formatos e isso permitiu maior agilidade para empresas, trabalhadores e usuários que precisam enviar informações com mais facilidade.

Aplicativos de mensagens no Brasil

Os mensageiros instantâneos estão presentes em, pelo menos, 90% dos smartphones de todo o Brasil e com uma frequência de uso diário por 93% desses usuários, de acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box. 

Esses dados revelam a força que essas aplicativos têm no Brasil que, progressivamente, vêm crescendo seu uso entre pessoas de várias faixas etárias.

O uso desses softwares de comunicação é, na maioria das vezes, feito em smartphones, mas também pode ser usado em tablets e outros dispositivos móveis. 

Formatos de arquivos suportáveis

O compartilhamento de arquivos por aplicativos de mensagem se tornou uma das melhores maneiras de enviar um documento de maneira rápida. Os aplicativos que aceitam envio de documentos suportam diversos formatos, sendo os principais: ppt, rtf, txt, slx, csv, pdf, docx, zip e rar.

Mas tanto adeptos de uma plataforma, quanto da outra, por vezes, já se depararam com a informação de que não era possível encaminhar algum arquivo devido ao tamanho dele ultrapassar o permitido por tais aplicativos. A solução em si, por muitas vezes, são os arquivos em formato PDF. 

Conhecido por sua segurança e compactação, o PDF tem capacidade de armazenar informações de múltiplas plataformas. Hoje já há, inclusive, a opção de comprimir PDF, deixando o que já era pequeno, ainda menor.

Os formatos suportáveis para envio de informações, bem como o tamanho de cada arquivo, podem variar em cada aplicativo. O Whatsapp, como principal mensageiro instantâneo, possui limite de 100mb por arquivo, enquanto seu concorrente, Telegram, 2GB.

Compartilhamento de arquivos nas vendas online

Os softwares de comunicação instantânea para mobile têm sido um dos maiores suportes para empreendedores digitais, principalmente em 2020, quando as vendas online cresceram a um patamar nunca visto.

De acordo com dados do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) em parceria com Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) e do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), em 2019, pelo menos 57% das empresas fizeram vendas pela internet e 42% dessas vendas foram feitas por mensageiros instantâneos, como Whatsapp e Facebook Messenger. Na pesquisa, houve o apontamento de vendas pelas redes sociais e e-mail, que ficaram em 20% e 39% respectivamente.

O compartilhamento de arquivos, pelo uso de aplicativos online, têm sido de grande ajuda para empresas, especialmente para envio de notas fiscais e para empresas que trabalham com prestação de serviço.

Empresas e funcionários aderem ao envio de documentos

Assim como empresas utilizam os aplicativos de mensagem para vender, houve, nos últimos anos, um enorme crescimento para fins profissionais e, principalmente, para a comunicação entre empregados e empregadores.

Os aplicativos de comunicação mobile têm facilitado a troca de informações de pessoas que prezam pela agilidade e economia de tempo, mas em contrapartida também têm suscitado debates sobre a relação da tecnologia com os direitos trabalhistas.

A tendência é que haja maior crescimento do uso de aplicativos para compartilhamento de arquivos de diversos formatos e que, cada vez mais, haja expansão de alternativas para colaborar com envios de informações instantâneas.

Deixe um comentário